Gestão vertical e gestão horizontal – qual a diferença?

Sabemos que a gestão de pessoas é um dos grandes e principais pilares de qualquer negócio. O modo como os processos são feitos, as decisões são tomadas, e os colaboradores são instruídos dirige toda a empresa, seja ela pequena ou grande. 

A forma como a gestão de pessoas é feita em cada empresa vem da cultura interna das mesmas. Isso depende muito se é uma empresa mais tradicional ou mais moderna, mais flexível ou mais hierarquizada. Uma boa forma de diferenciarmos os tipos de gestão é caracterizando-as por: Gestão Vertical e Gestão Horizontal.

Gestão Vertical

A gestão vertical é o modelo de gestão mais conhecido e tradicional que existe nas empresas. Nesse caso, as funções e cargos são bem definidos e hierarquizados, assim como as tomadas de decisões, os salários, benefícios, etc. 

Essa é uma forma tradicional de fazer a gestão corporativa, o que pode não se encaixar muito bem para certas empresas. Porém, a mesma possui vários benefícios, como por exemplo uma boa estruturação de processos e a facilidade de cumprir tarefas e organizar cronogramas. 

Contudo, vemos que nesse caso a tomada de decisão acaba ficando mais demorada, como deve passar por vários níveis de aprovação. Isso acaba tirando um pouco a autonomia do colaborador e das equipes, o que algumas vezes pode gerar frustrações.

Outro ponto que pode ser mais complicado em empresas tradicionais com o modelo de gestão vertical é fazer a união e integração entre diferentes áreas da empresa. Quando os cargos e funções são extremamente divididos e bem estruturados, as equipes acabam ficando mais fechadas entre si. Isso dificulta um pouco que os colaboradores enxerguem como o seu trabalho influencia no restante da empresa.

Gestão horizontal

A gestão horizontal, diferentemente da gestão vertical, é conhecida por seu modelo não tradicional, que permite uma maior participação de todos os colaboradores em diversos assuntos da empresa. Dessa forma, as tomadas de decisões são mais burocráticas, as ideias de todos são ouvidas, as áreas têm uma maior integração entre si no dia a dia, e o principal; os colaboradores se sentem mais pertencentes à empresa, como um grande time, construindo juntos os processos e estratégias. 

Esse modelo de gestão, geralmente mais usado em empresas menores até o momento, se mostra bastante motivante para os colaboradores. O mesmo proporciona um ambiente mais leve e colaborativo, facilitando o diálogo e trazendo a liberdade, para que, cada colaborador com sua expertise, possa contribuir para os projetos. Isso acaba criando equipes e colaboradores multifuncionais, o que é de grande valor tanto para a empresa, quanto para a carreira profissional de cada um.

Uma das desvantagens da gestão horizontal é que, a sua empresa deve estar super bem preparada pensando na possibilidade de haver um crescimento inesperado na companhia. Caso contrário, isso pode causar certa bagunça, queda de produtividade, falha na comunicação e perda de autoridade dos líderes, se não houver um plano de ação sobre esse modelo de gestão.

Por fim, não existe uma forma certa de realizar a gestão da empresa. Não existe uma receita, um passo a passo, ou uma mais profissional ou menos profissional. As duas formas possuem seus pontos positivos e negativos, e precisam ser estudadas para a situação específica de cada empresa, analisando qual se encaixaria melhor em cada perfil e em cada objetivo.

Quer ler mais conteúdos sobre gestão de pessoas? Acesse nosso blog! Clique aqui e leia agora mesmo sobre como aplicar conceitos de metodologias ágeis em sua gestão.

Veja mais conteúdos: